SIGO LIVRE

Álvaro Mota e Daniel Maia

Não me prendo ao que tenho, não me prendo a nada nada não
Com passos firmes caminho para o lado que manda a razão
Preso ainda a lembranças talvez, talvez
Quinhentos anos se passaram e nada mudou

Corrupção, descaso, ambição
São as pragas que atingem nossa nação
Não me rendo, sigo livre, sigo livre, ei irmão

Sigo livre, sigo livre
Sigo livre, sigo livre (por mais que queiram me prender)
Com a cabeça

Desde o período da colonização, colonizaram o Brasil, eu estava lá naquele navio
Eu estava lá, quem não viu, quem não viu

Pois é
Me vejo nas ruas, fico sentado, lhe peço um troco
Mas não quero só aquilo que me dão e sim

A minha salvação, a sua salvação, a minha salvação, a nossa salvação
Emancipação, emancipa, emancipação, emancipa, emancipe sua alma, emancipe yé!

ESCUTE A MÚSICA NO PLAYER ABAIXO